Polícia Civil prende mais um envolvido na morte do empresário Elker Sousa em Barra do Corda

A Polícia Civil da 15ª Delegacia Regional de Barra do Corda prendeu na última sexta-feira, 14 de outubro, mais um envolvido na morte do empresário Elker Sousa. O crime ocorreu na madrugada do dia 22 de maio em frente a residência de Elker que fica localizada na Rua Rio Mearim, bairro trisidela. Elker foi morto com dois tiros nas costas.

Com a nova prisão, sobe para cinco o número de envolvidos na trama e execução.

Na última sexta-feira, 14 de outubro, a juíza Talita Barreto, titular da 2ª vara da Comarca de Barra do Corda, atendeu os pedidos da Polícia Civil e ordenou a prisão de José Filho. Segundo as investigações, Zé Filho foi contratado por Victor Hugo para monitorar Elker Sousa no dia e na noite do crime. Em depoimento, após ser preso, Zé Filho confessou a participação. Ele disse que Victor Hugo havia lhe contratado para monitorar os passos do empresário. Disse a ele que, Elker Sousa,tinha umas dívidas com ele(Victor Hugo).

Zé Filho relatou que na noite do crime, chegou a passar em frente a casa de Elker Sousa, mas não o viu. De lá, ele seguiu para casa quando, momentos depois, viu em grupos de WhatsApp que Elker tinha sido assassinado.

Zé Filho disse ainda que jamais imaginou que o monitoramento seria com a finalidade de assassinar o empresário Elker Sousa, pois, Victor Hugo, não relatou isso a ele.

Por outro lado, vale relembrar que, Erika Santos, namorada de Victor Hugo, segundo as investigações, monitorava o empresário pelas redes sociais(instagram). Erika também confessou a participação na trama do crime.

Estão presos por envolvimento no crime do empresário Elker Sousa; Victor Hugo(acusado de ser o executor), Erika Santos(acusada de monitorar os passos do empresário via instagram), Luis Fernando de Carvalho Melo(acusado de pilotar a moto), Yorrana Alves(acusada de guardar a arma do crime) e José Filho(preso na última sexta, 14 de outubro, acusado de monitorar nas ruas os passos de Elker Sousa.

Ainda em agosto, antes de sair de Barra do Corda, o juiz Queiroga Filho aceitou a denúncia do Ministério Público e tornou réus em Ação Penal Victor Hugo e Erika Santos. Se condenados, as penas somadas poderão chegar a quase 70 anos de prisão.

Os demais acusados ainda não foram denunciados. Tudo indica que as denúncias do MP contra os outros quatro acusados deverão ocorrer nos próximos dias.

Minuto da Barra