Weverton mostra maturidade e serenidade, resiste ao ataques, e segue firme rumo ao Palácio dos Leões.

Weverton mostra maturidade e serenidade, resiste ao ataques, e segue firme rumo ao Palácio dos Leões.

Senador tem demonstrado inteligência emocional para resistir aos ataques da imprensa alinhada ao Palácio dos Leões, às ameaças do vice-governador Carlos Brandão e às provocações do próprio governador Flávio Dino, construindo com maestria sua candidatura ao governo, liderando as pesquisas e agregando o maior número de lideranças

Líder nas pesquisas de intenção de votos para o Governo do Estado e tendo em seu palanque o maior número de lideranças político-partidárias, o senador Weverton Rocha (PDT) virou alvo fácil dos adversários no poder.

Vítima diária de ataques de todos os tipos da mídia alinhada ao Palácio dos Leões – inclusive de cunho pessoal – o pedetista é também ameaçado quase que diariamente de ter tomadas as posições que tem no governo que ajudou a construir.

E agora passou a sofrer provocações também do próprio governador Flávio Dino (PCdoB). (Veja aqui e aqui)

Mas o que chama a atenção não são as ações contra Weverton Rocha por parte daqueles que tentam manter o poder tradicional no Maranhão.

O que chama atenção é a maturidade com que Weverton reage a esses ataques.

Senador com pouco mais de 40 anos e já liderando as pesquisas para o governo, Weverton enfrenta a pressão da disputa de 2022 com a serenidade dos líderes mais experientes da história.

A inteligência emocional demonstrada pelo pedetista tem sido fundamental para evitar a cizânia na base do governador Flávio Dino, cizânia esta estimulada, por vezes, até pelo próprio Dino.

Foi no PDT de Jackson Lago que o senador aprendeu a suportar as pressões e os ataques, com a clareza do que quer e espera do poder

Filho das classes populares do Maranhão, sem parentes encastelados no poder e sem familiares na história da política, Weverton construiu sua história a partir da relação com o PDT de Jackson Lago.

Mas desde cedo teve que enfrentar a raiva dos que se achavam herdeiros do poder,  desde o movimento estudantil, passando pelo PDT, até chegar nos governos Jackson, Edivaldo Júnior e Flávio Dino.

Sua ascensão meteórica incomoda os poderosos, obviamente, sobretudo os herdeiros, com sobrenomes impostos ao eleitor ao longo da história.

À frente de um grupo formado, em sua maioria, por jovens abaixo dos 40 anos, seria natural ver do senador demonstrações de arroubos e açodamentos naturais das novas gerações.

Mas sua inteligência emocional tem mostrado que ele está preparado para o enfrentamento, mesmo buscando o diálogo.

É com inteligência emocional, diálogo, maturidade e serenidade que se constroem os grandes líderes.

Sempre foi assim, em toda a história…

Blog do Marco Aurelio Deca

%d blogueiros gostam disto: